George Michael, Prince e Michael Hutchence, dos INXS. Esses fizeram, ali, suas únicas apresentações no Brasil. Guns N’ Roses também marcou

Relembre os grandes shows do segundo Rock In Rio, acontecido há 30 anos.

Há exatos 30 anos, já na madrugada do dia 28, George Michael encerrava a segunda edição do Rock In Rio. O festival trouxe muitos astros pela primeira, e em alguns casos, infelizmente, única vez ao país.

Dos seis headliners, três deles tocaram em duas noites, e nada menos que três deles não estão mais entre nós:

O já citado George Michael (morto no natal de 2016), Prince (em abril do mesmo ano) e Michael Hutchence, o vocalista do INXS, que se foi em 1997.

A escalação teve ainda os Guns N’ Roses (a atração mais aguardada), New Kids On The Block (já preparando o terreno para as atrações mais pop que veríamos no futuro) e o A-Ha que arrastou uma multidão para o Maracanã no sábado (26).

Segundo Rock In Rio 

Maracanã? Sim, ao contrário de todas as outras edições, essa aconteceu no maior estádio do planeta, e não na Cidade do Rock, que foi demolida logo depois do término do Rock in Rio de 1985 – ela seria reconstruída em 2001 quando, finalmente, o festival aconteceu pela terceira vez.

Além dos headliners, o RiR de 91 ainda consagrou o Faith No More, deu aos fãs de metal a chance de finalmente verem o Judas Priest (e também de ver uma das bandas do chamado “Big 4” do thrash metal: o Megadeth) e também captou o Sepultura em um momento crucial de sua carreira: quando eles se preparavam para entrar de vez na elite do som pesado.

Segundo Rock In Rio -Relembre um pouco do que rolou naqueles nove dias:

Prince – dias 18 e 24 de janeiro

Com George Michael e Axl Rose, Prince formou o trio de “superestrelas inatingíveis” daquele festival.

Seu primeiro show, na abertura do evento, em 18 de janeiro, atrasou mais de duas horas. E verdade seja dita, os shows foram bons, mas um pouco abaixo do que ele realmente poderia entregar.

Ainda assim, não se pode nunca reclamar de um concerto que tem “Let’s Go Crazy”, “Kiss”, “Purple Rain” ou “Take Me With You“. Todas, incrivelmente, tocadas na primeira metade da apresentação – a segunda parte praticamente não teve grandes hits.

Leia Mais